Propriedade
A RevSALUS é propriedade da Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia – RACS.

Normas de Publicação

A RevSALUS é uma publicação científica internacional em língua portuguesa de acesso aberto, com a finalidade de promover a divulgação da produção científica, fortalecendo a cooperação internacional no contexto da investigação, ensino, desenvolvimento e inovação, em todas as áreas da saúde ou a elas aplicadas.

Publica artigos em português na sua edição em papel e em português e inglês na sua edição online, sobre todas as áreas das ciências da saúde. Inclui regularmente artigos originais sobre investigação clínica ou básica, revisões temáticas, casos clínicos, relatos de experiência, imagens em ciências da saúde, editoriais, artigos de opinião científica, recensões críticas, cartas ao editor e destaques biográficos da equipa editorial ou autores. Para consultar as edições online deverá aceder através do link: http://racslusofonia.org.

Todos os artigos são avaliados antes de serem aceites para publicação por especialistas designados pelos editores (peer review). A submissão de um artigo à RevSALUS implica que este nunca tenha sido publicado e que não esteja a ser avaliado para publicação noutra revista.

Os trabalhos submetidos para publicação são propriedade da RevSALUS e a sua reprodução total ou parcial deverá ser convenientemente autorizada. Todos os autores deverão enviar a declaração de originalidade, conferindo esses direitos à RevSALUS, na altura em que os artigos são aceites para publicação.

Responsabilidades éticas
Os autores dos artigos aceitam a responsabilidade definida pelo Comité Internacional dos Editores das Revistas Médicas (consultar www.icmje.org). Os trabalhos submetidos para publicação na RevSALUS devem respeitar as recomendações internacionais sobre investigação clínica (Declaração de Helsínquia da Associação Médica Mundial, revista recentemente) e com animais de laboratório (Sociedade Americana de Fisiologia). Os estudos aleatorizados deverão seguir as normas CONSORT.

Informação sobre autorizações
A publicação de dados dos participantes não deve identificar os mesmos, devendo os autores apresentar o consentimento escrito por parte do doente que autorize a sua publicação, reprodução e divulgação em papel e online na RevSALUS. Do mesmo modo os autores são responsáveis por obter as respetivas autorizações para reproduzir na RevSALUS todo o material (texto, tabelas ou figuras) previamente publicado. Estas autorizações devem ser solicitadas ao autor e à editora que publicou o referido material.

Formalidade de submissão:
Na submissão dos artigos devem constar duas versões em formato Word: uma versão com o(s) detalhe(s) do(s) autor(es), e outra versão blind, ou seja, sem o(s) detalhe(s) do(s) autor(es). 

Artigos originais
Apresentação do documento:
O manuscrito deve seguir a seguinte ordem:

  • resumo estruturado em português e palavras-chave;
  • resumo estruturado em inglês e keywords;
  • corpo de texto;
  • referências bibliográficas;
  • legendas das figuras e tabelas e
  • tabelas.

Espaçamento de 1,5, margens de 2,5 cm e páginas e linhas numeradas.
Não deverão exceder 5.000 palavras, excluindo as tabelas.

Primeira página

Título completo em português e em inglês (até 150 carateres).
Nome e apelido dos autores pela ordem seguinte: nome próprio seguido do apelido.
Afiliação (departamento/serviço, instituição, cidade, país).
Endereço completo do autor correspondente.

Resumo estruturado

O resumo, com um máximo de 250 palavras, deve estar dividido em cinco partes, sempre que aplicável: i) Introdução; ii) Objetivos; iii) Material e Métodos; iv) Resultados e v) Conclusões.
Não inclui referências bibliográficas nem figuras ou tabelas.
Inclui cinco palavras-chave em português e em inglês. Deverão ser selecionadas a partir da Medical Subject Headings (MeSH) da National Library of Medicine.

Texto

Deverá conter as seguintes partes devidamente assinaladas: i) Introdução; ii) Material e Métodos; iii) Resultados; iv) Discussão e v) Conclusões. Poderá utilizar subdivisões adequadamente para organizar cada uma das secções.
Os agradecimentos situam-se no final do texto.

Referências Bibliográficas

Para download do formato Endnote clicar Aqui

As referências bibliográficas deverão ser citadas no seguinte modelo (Dinis-Oliveira et al., 2018). As referências bibliográficas não incluem dados não publicados, podendo ser incorporada a informação ao longo do texto, entre parêntesis.
As referências devem seguir o modelo disponibilizado pela RevSALUS em http://racslusofonia.org, que cumprem os seguintes requisitos:

Citação de revista científica: Lista de todos os autores e deverão ser utilizados os seguintes formatos:
Dinis-Oliveira RJ, Carvalho F, Duarte JA, Remião F, Marques A, Santos A, Magalhães T. Collection of biological samples in forensic toxicology. Toxicol Mech Methods 20:363-414, 2010.

Citação de livro: Editores, título do livro, editora, cidade, ano. Exemplo:
Dinis-Oliveira RJ, Carvalho F, Bastos ML. Toxicologia Forense. Lidel, Edições Técnicas LDA, Lisboa, 2015.

Capítulo em livro: Autores, título do capítulo, In: título do livro, editores (ed). editora, páginas, ano. Exemplo:
Magalhães T, Ribeiro C, Jardim P, Peixoto C, Dinis-Oliveira RJ, Abreu C, Pinheiro MF, Guerra CC. PARTE III. Da investigação inicial ao diagnóstico de abuso. In: Abuso de crianças e jovens – da suspeita ao diagnóstico, Magalhães T (ed). Lidel, Edições Técnicas LDA, Lisboa, 147-172:2010.

Endereço eletrónico: Sítio na web. Exemplo:
Dinis-Oliveira RJ. Toxicologia Forense. Disponível em: http://apcforenses.org/?page_id=11, consultado em 25-07-2018, 2017.

Figuras
Devem ser submetidas com a máxima qualidade possível em ficheiro *.ppt (power-point). No manuscrito, são aceitáveis ainda os seguintes formatos: BMP, EPS, JPG, PDF e TIF, com 300 dpis de resolução, pelo menos 1200 pixéis de largura e altura proporcional. As figuras devem ser numeradas na ordem em que são citadas no texto e assinaladas em numeração árabe e com identificação, figura/tabela. Tabelas e figuras devem ter numeração árabe e legenda. Cada figura e tabela incluídas no trabalho têm de ser referidas no texto, da forma que passamos a exemplificar: Estes são alguns exemplos de como uma resposta imunitária anormal pode estar na origem dos sintomas da doença de Behçet (Fig. 4).

Tabelas
São identificadas com numeração árabe de acordo com a ordem de entrada no texto. Cada tabela será escrita com espaçamento simples e colocadas no fim do documento word, com o título colocado na parte superior e na parte inferior são referidas as abreviaturas por ordem alfabética.

Editoriais
Os editoriais serão apenas submetidos por convite do Conselho Editorial. Serão comentários sobre tópicos atuais. Não devem exceder as 1.200 palavras nem conter tabelas/figuras e terão um máximo de 5 referências bibliográficas. Não necessitam de resumo.

Artigos de revisão
Destinam-se a abordar de forma aprofundada o estado atual do conhecimento referente a temas de importância. Estes artigos serão elaborados a convite da equipa editorial, contudo, será possível a submissão, por autores não convidados (com ampla experiência no tema), de propostas de artigo de revisão que, julgados relevantes e aprovados pelo Conselho Editorial, poderão ser desenvolvidos e submetidos às normas de publicação. Número máximo de palavras do resumo: 250; número máximo de palavras do corpo de texto do artigo sem contar com o resumo e tabelas: 5.000; número máximo de referências bibliográficas: 200. Deverão ter uma secção dedicada aos materiais e métodos.

Cartas ao editor
Devem ser enviadas sob esta rúbrica e referem-se a artigos publicados na RevSALUS. Serão somente consideradas as cartas recebidas no prazo de oito semanas após a publicação do artigo em questão. Não podem exceder as 800 palavras. Podem incluir um número máximo de duas figuras. As tabelas estão excluídas. Deve seguir a seguinte estrutura geral: identificar o artigo visado (torna-se a referência 1); motivo da carta; fornecer evidência (a partir da literatura ou experiência pessoal); fornecer uma súmula; citar referências. A(s) resposta(s) do(s) autor(es) devem observar as mesmas características.

Casos clínicos
O texto explicativo não pode exceder 3.000 palavras e contém informação de maior relevância. Contêm um número máximo de 4 figuras e pode ser enviado material suplementar, como por exemplo videoclips.

Imagens em ciências da saúde
O texto explicativo não pode exceder as 250 palavras e contém informação de maior relevância, sem referências bibliográficas. Todos os símbolos que possam constar nas imagens serão adequadamente explicados no texto. Contêm um número máximo de quatro figuras. A imagem em ciências da saúde é um contributo importante da aprendizagem e da prática clínica ou outra. Poderão ser aceites imagens clínicas, de imagiologia, histopatologia, cirurgia, etc. Podem ser enviadas até duas imagens por caso. Não pode ter mais do que três autores e cinco referências bibliográficas. Não precisa de resumo. Só são aceites fotografias originais, de alta qualidade, que não tenham sido submetidas a prévia publicação.

Guidelines / normas de orientação
As sociedades científicas, os colégios das especialidades, as entidades oficiais e/ou associações podem publicar na RevSALUS recomendações de prática clínica, laboratorial ou outra.

Ficha Técnica

Title: RevSALUS - Revista Científica das Ciências da Saúde da Lusofonia
ISSN: 2184-4860
Editor chefe: Ricardo Jorge Dinis-Oliveira (Portugal)
NLM abr. título: Não indexado
ISO abreviatura: RevSALUS
Outros títulos: RevSALUS
Categria: Ciências da Saúde
DOI: Não disponível
Peer review: Double blind
Review speed: 4 semanas
Suporte(s): Digital e impresso
Política de Publicação: Acesso livre
Tipo Publicação: Periodicals
Editora: Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia
País: Portugal
Língua: Português
Email: geral.revsalus@racslusofonia.org